Quais são os tratamentos disponíveis para o Câncer de Pele Espinocelular?

A maioria dos cânceres de pele de células escamosas é encontrada e tratada precocemente, quando podem ser removidos ou destruídos com métodos de tratamento locais. Os cânceres de células escamosas podem geralmente ser curados com estes tratamentos, a taxa de recidiva é semelhante ao dos cânceres de células basais.

Os tratamentos disponíveis para o tratamento do carcinoma de células escamosas são:

Excisão Simples

Muitas vezes usada para remover os carcinomas de células escamosas.

Curetagem e Eletrodissecação

Comumente utilizado para carcinomas de células escamosas, mas não é recomendada para tumores grandes.

Criocirurgia

Pode ser usada para alguns carcinomas de células escamosas, mas não é recomendado para tumores invasivos localizados em regiões, como nariz, orelhas, pálpebras ou pernas.

Cirurgia Micrográfica de Mohs

A cirurgia de Mohs tem a maior taxa de cura para o carcinoma de células escamosas, especialmente os maiores do que 2 cm de diâmetro ou com bordas mal definidas; para os tumores recidivados; para os tumores que se espalham ao longo dos nervos sob a pele; e, para os tumores localizados em áreas, como rosto ou órgãos genitais.

Radioterapia

Muitas vezes uma boa opção para o tratamento de pacientes mais velhos e para tumores localizados nas pálpebras, nariz ou orelhas, áreas que podem ser difíceis de tratar cirurgicamente. A radioterapia é às vezes realizada após a cirurgia (excisão simples ou dissecção de linfonodos) se todo o câncer não foi removido, ou se houver uma chance de recidiva.

Dissecção dos Gânglios Linfáticos

É recomendada para alguns carcinomas de células escamosas ou profundamente invasivos e nos casos em que os gânglios estão aumentados ou endurecidos.

Quimioterapia Sistêmica

É uma opção para pacientes com câncer de células escamosas que se espalhou para os gânglios linfáticos ou órgãos distantes. Em alguns casos, pode ser combinada com a cirurgia ou radioterapia.