Câncer de Pele de Células de Merkel

O carcinoma de células de Merkel é um tipo raro de câncer de pele que começa quando as células de Merkel crescem fora de controle. Como as células são um tipo de células neuroendócrinas, às vezes é denominado carcinoma neuroendócrino da pele. Outro nome para o carcinoma de células de Merkel é carcinoma trabecular.

Prevenção do Câncer de Pele de Células de Merkel

Prevenção de doenças é o diferimento ou eliminação das condições específicas de uma doença através de intervenções de eficácia comprovada.

A prevenção do câncer de pele de células de Merkel é a ação tomada para reduzir a chance de contrair a doença. Portanto, prevenir o câncer de pele de células de Merkel significa evitar os fatores de risco que aumentam as chances de desenvolver a enfermidade.

Parte da carga de prevenção do câncer de pele de células de Merkel encontra-se com o indivíduo, que deve adotar comportamentos que minimizem o risco e ocorrência da doença, e maximizem os estados de saúde.

Fatores de Risco 

Alguns como tomar sol, por exemplo, podem ser controlados; no entanto outros não, por exemplo, idade e histórico familiar. Embora os fatores de risco possam influenciar o desenvolvimento do câncer, a maioria não causa diretamente a doença. Algumas pessoas com vários fatores de risco nunca desenvolverão um câncer, enquanto outros, sem fatores de risco conhecido poderão fazê-lo.

Ter um fator de risco ou mesmo vários, não significa que você vai ter a doença. Muitas pessoas que contraem a doença podem não estar sujeitas a nenhum fator de risco conhecido. Se uma pessoa com câncer de pele de células de Merkel tem algum fator de risco, muitas vezes é muito difícil saber o quanto esse fator pode ter contribuído para o desenvolvimento do câncer de pele de células de Merkel.

Fatores que podem aumentar o risco de uma pessoa desenvolver o câncer de pele de células de Merkel:

  • Infecção pelo poliomavírus de células de Merkel (MCV). Evidências do poliomavírus de células de Merkel podem ser diagnosticadas nas células da maior parte dos carcinomas de células de Merkel. O poliomavírus de células de Merkel é um vírus comum. A maioria das pessoas é infectada em algum momento, muitas vezes antes dos 20 anos, mas a infecção não causa sintomas e, raramente leva, ao câncer de pele de células de Merkel. Dessa forma, não existem exames de rastreamento recomendados ou tratamentos para a infecção MCV. O poliomavírus de células de Merkel foi diagnosticado pela primeira vez em 2008, portanto ainda não se sabe muito sobre este vírus. Por exemplo, não está claro como isso pode causar o câncer de células de Merkel ou porque existem poucos casos de câncer de pele de células de Merkel quando a infecção com o poliomavírus é muito comum.
  • Exposição à radiação ultravioleta. A exposição à radiação ultravioleta (UV) é considerada um importante fator de risco para a maioria dos tipos de câncer de pele, incluindo o câncer de pele de células de Merkel, uma vez que os raios ultravioleta danificam o DNA das células da pele. Esse dano afeta o DNA dos genes que controlam o crescimento das células o que pode conduzir ao câncer de pele. 
  • Exposição solar. A luz solar é a principal fonte de raios UV. A maioria dos câncer de pele de células de Merkel começa em áreas do corpo, muitas vezes expostas ao sol, como rosto, pescoço e braços. Pessoas que recebem grande quantidade de exposição ao sol têm um risco aumentado de câncer de pele de células de Merkel. Os raios UV representam apenas uma pequena parcela dos raios solares, mas são a principal causa dos efeitos nocivos do sol sobre a pele. 
  • Câmaras de bronzeamento. As câmaras de bronzeamento artificial são outra fonte de raios ultravioleta. Como o câncer de pele de células de Merkel é raro poucos estudos mostraram se existe alguma ligação da doença e o uso de bronzeamento artificial. Mas, é evidente que mais exposição aos raios ultravioleta pode aumentar o risco. No Brasil as câmaras de bronzeamento são proibidas desde 2009.
  • Tratamento de psoríase. Alguns pacientes com psoríase, doença inflamatória da pele, são tratados com medicamentos denominados psoralenos juntamente com luz UV, um tratamento conhecido como PUVA. Isto pode aumentar o risco de desenvolvimento de câncer de pele de células de Merkel.
  • Cor da pele. O risco de câncer de pele de células de Merkel é maior entre os brancos do que em negros ou hispânicos. Isto é provavelmente devido ao efeito protetor da pele mais escura contra os efeitos nocivos dos raios UV.
  • Idade. O risco de câncer de pele de células de Merkel aumenta com a idade. Na verdade, esse tipo de câncer é muito raro antes dos 50 anos. O aumento do risco está provavelmente relacionado a danos na pele provocados pela exposição ao sol e ao fato de que o sistema imunológico das pessoas tendem a se tornar mais frágil à medida que envelhecem.
  • Gênero. Os homens são mais propensos do que as mulheres a desenvolverem câncer de pele de células de Merkel. Isso pode ser devido a uma maior exposição ao sol.
  • Sistema imunológico enfraquecido. O sistema imunológico defende o corpo contra os germes, como vírus, além de ajudar o corpo a combater alguns tipos de câncer de pele e de outros órgãos. Pessoas com sistema imunológico debilitado, devido a determinados tratamentos ou doenças, como transplante de órgãos, vírus do HIV, leucemia linfoide crônica, são mais propensas a desenvolverem alguns tipos de câncer de pele, incluindo o câncer de pele de células de Merkel.

Causas do Câncer de Pele de Células de Merkel

Embora se saiba que alguns fatores de risco podem aumentar a chance de uma pessoa ter câncer de pele de células de Merkel, não está claro como esses fatores podem causar o câncer de pele de células de Merkel.

O câncer é o resultado de alterações no DNA de uma célula. O DNA é um composto orgânico cujas moléculas contêm as instruções genéticas que coordenam o desenvolvimento e funcionamento de todas as células. Normalmente, as pessoas se parecem com seus pais, porque eles são a fonte de seu DNA. Entretanto, o DNA também pode influenciar o risco de desenvolver certas doenças, como alguns tipos de câncer.

Alguns genes contêm instruções para controlar o crescimento e divisão das células. Os genes que promovem a divisão celular são chamados oncogenes. Os genes que retardam a divisão celular ou levam as células a morte no momento certo são chamadas de genes supressores de tumor. Os cânceres podem ser causados ​​por alterações do DNA que se transformam em oncogenes ou desativam os genes supressores de tumor.

Os pesquisadores ainda não sabem como todas as mutações do DNA resultam em câncer de pele de células de Merkel, mas já descobriram que muitos destes cânceres têm alterações nos genes supressores de tumor.

O câncer de pele de células de Merkel não parece ser hereditário, logo as alterações no DNA que levam ao câncer de pele de células de Merkel não são susceptíveis de serem herdadas. Portanto, essas alterações acontecem durante a vida da pessoa. Às vezes, essas alterações poderiam ser eventos aleatórios que acontecem no interior das células, sem uma causa externa. Mas, às vezes a causa pode ser algo específico, como a exposição solar a longo prazo ou a infecção com o poliomavírus de células de Merkel.

A radiação ultravioleta pode danificar o DNA das células da pele. Às vezes, esse dano afeta os genes que controlam como e quando as células crescem e se dividem, o que pode ser o primeiro passo para descobrir como essas células se tornam cancerígenas.

O papel da infecção do poliomavírus de Merkel no desenvolvimento do câncer de pele de células de Merkel ainda não está claro. Os pesquisadores já sabem que o vírus pode entrar nas células e levá-las a produzir uma proteína que desliga os genes supressores de tumor, o que pode levar ao câncer de pele de células de Merkel.

A importância da infecção pelo poliomavírus de células de Merkel poderia ajudar a explicar porque as pessoas com sistemas imunológicos fracos têm um maior risco de câncer. Uma vez que o vírus não seja completamente eliminado, um sistema imunológico debilitado poderia permitir que o mesmo se desenvolvesse, aumentando o risco de câncer de pele de células de Merkel.

Os pesquisadores estão estudando alterações específicas no DNA das células do câncer de pele de células de Merkel para entender o que causa a doença. Uma melhor compreensão dos mecanismos envolvidos na formação do câncer também pode levar ao desenvolvimento de tratamentos para superar ou reparar o dano.

Como se Prevenir 

O risco de câncer de pele de células de Merkel é baixo, mas algumas ações que podem reduzir esse risco:

  • Limitar a exposição à radiação ultravioleta: A forma mais importante para reduzir o risco do câncer de pele de células de Merkel é proteger-se da radiação ultravioleta. Proteja-se do sol quando estiver ao ar livre.
  • Procurar uma sombra. Uma forma de limitar a exposição à radiação ultravioleta é evitar a exposição prolongada ao ar livre, diretamente sob a luz solar, especialmente entre às 10 h e 16 h, quando a luz UV é mais intensa.
  • Usar roupas adequadas. As roupas fornecem diferentes níveis de proteção à radiação ultravioleta (UV), por exemplo, camisas de mangas compridas, calças compridas ou saias longas oferecem mais proteção, as cores escuras também protegem mais do que as cores claras. Tecidos firmes protegem melhor do que o vestuário entrelaçado. Tecido seco é geralmente mais protetor que o molhado. Entretanto é importante estar ciente que apenas se cobrir não bloqueia toda a radiação ultravioleta, se a luz passa através de um tecido, a radiação UV também passará.
  • Usar chapéu. Chapéu com aba é o ideal, porque protege áreas muitas vezes expostas ao sol intenso, como orelhas, olhos, nariz, couro cabeludo e testa. O boné protege o rosto e a cabeça, mas não o pescoço ou as orelhas, onde, normalmente, os cânceres de pele começam a se desenvolver. Os chapéus de palha não são tão protetores quanto os confeccionados com tecido mais grosso.
  • Usar protetor solar. Use protetores solares e labiais em áreas de pele expostas ao sol, especialmente entre às 10 h e 16 h e de preferência com fatores de proteção solar (FPS) 30 ou mais. O uso do protetor solar é recomendado, inclusive em dias nublados ou encobertos, pois a radiação UV está presente. Entretanto, para garantir a proteção contínua, os filtros solares devem ser reaplicados, de acordo com as instruções da embalagem.
  • Usar óculos de sol. Óculos com capacidade de bloquear a radiação UV, de pelo menos 99% oferecem a melhor proteção para os olhos e a área da pele ao redor dos olhos.
  • Evitar o bronzeamento artificial: Muitas pessoas acreditam que os raios UV das câmaras de bronzeamento são inofensivos, mas isso não é uma verdade. As lâmpadas de bronzeamento que fornecem os raios ultravioleta podem, a longo prazo, provocar danos à pele e ainda contribuir para o desenvolvimento de um câncer de pele. A maioria dos dermatologistas e dos membros de organizações de saúde não recomenda o uso de câmaras de bronzeamento e lâmpadas ultravioletas. No Brasil está proibida sua utilização desde 2009.
  • Proteger as crianças do sol: As crianças precisam de atenção especial, pois tendem a passar mais tempo ao ar livre e podem se queimar mais facilmente. Os pais devem proteger as crianças à exposição ao sol em excesso, seguindo as recomendações mencionadas acima. As crianças mais velhas precisam ser alertadas sobre a exposição ao sol uma vez que se tornam mais independentes.
  • Evitar o enfraquecimento do sistema imunológico: Ter um sistema imunológico enfraquecido aumenta o risco de câncer de pele de células de Merkel.

Algumas pessoas usam medicamentos para suprimir o sistema imunológico. Isto inclui aquelas que fizeram transplantes de órgãos e com doenças autoimunes. Pacientes com câncer, também às vezes usam medicamentos, como os quimioterápicos, que podem reduzir a função imunológica. Para esses pacientes, o benefício de tomar estes medicamentos, provavelmente, supera em muito o pequeno risco de câncer de pele de células de Merkel.

A infecção com o HIV, vírus que causa a AIDS, pode enfraquecer o sistema imunológico, aumentando o risco de câncer de pele de células de Merkel e alguns outros tipos de câncer. Evitar os fatores de risco conhecidos para a infecção por HIV, como injeção intravenosa, uso de drogas e sexo sem camisinha, também pode diminuir o risco de câncer de pele de células de Merkel e muitos outros tipos de câncer.