Melanoma

Melanoma metastático e novidades no tratamento

By dezembro 25, 2018 No Comments

Apesar de ser o tipo menos frequente de câncer de pele, o melanoma preocupa por ser o mais agressivo e apresentar crescimento rápido. E, quando descoberto em estágio avançado, pode já ter apresentado metástase. Isso significa que o câncer, inicialmente na pele, se disseminou para uma ou mais partes do corpo.

Os nódulos linfáticos, próximo ao local onde se iniciou o melanoma, são os primeiros pontos para onde a doença pode se disseminar. Outros órgãos mais comuns de serem afetados pela metástase são fígado, cérebro, pulmões e ossos, entre outros.

Além dos sinais do melanoma em si, os sintomas do melanoma metastático (ou melanoma avançado ou em estágio IV) variam de acordo com a área para a qual o câncer se disseminou:

  • Gânglios linfáticos: podem estar endurecidos, inchados e doloridos.
  • Pulmões: podem apresentar falta de ar ou tosse que não melhora.
  • Fígado: dor no lado direito do abdome (abaixo da costela direita) ou perda de fome.
  • Ossos: dores.
  • Cérebro: sinais de alerta podem incluir dor de cabeça que não alivia, fraqueza ou dormência em braços ou pernas, convulsões e alterações de personalidade ou humor.

É importante ressaltar que esses sintomas também são causados por outras condições e doenças, por isso é sempre importante consultar um médico!

Tratamentos melanoma metastático

De maneira geral, as metástases costumam ser removidas cirurgicamente, quando possível. Nos casos em que não há essa possibilidade, os tratamentos mais indicados são radioterapia, quimioterapia, terapia-alvo e imunoterapia. Estas duas últimas, são as opções terapêuticas mais recentemente aprovadas no Brasil para a doença.

A imunoterapia e terapia-alvo têm se mostrado cada vez mais eficazes no tratamento do melanoma metastático, garantindo maior sobrevida livre de progressão para os pacientes com a doença. Saiba mais nesta entrevista do Antônio Carlos Buzaid, chefe geral do Centro Avançado em Oncologia do Hospital São José (SP) ao portal Oncoguia.

Antes de recomendar qualquer opção terapêutica ou uma combinação delas, o médico irá levar em consideração o quadro geral do paciente além de possíveis benefícios e efeitos colaterais. Além disso, pacientes com melanoma metastático também podem considerar a participação em estudos clínicos que podem ajudar na sobrevida e qualidade de vida com tratamentos inovadores ainda em estudos.

Deixe seu comentário