Exames das Amostras de Biópsias do Câncer de Pele Melanomaa

Todas as amostras de biópsias de pele são enviadas para análise por um patologista, que é o médico especializado no exame anatomopatológico de células, tecidos e órgãos para diagnosticar a doença. Se células cancerosas estão presentes, o patologista determinará o tipo de câncer de pele.

Para confirmar o diagnóstico de câncer de pele melanoma, o médico também pode solicitar exames adicionais da amostra, como imunohistoquímico, hibridização fluorescente in situ (FISH) e hibridização genômica comparativa.

Se as amostras contêm melanoma, o patologista verificará certas características importantes, como a espessura do tumor e índice mitótico. Estas características determinam o estadiamento da doença, que por sua vez influencia as opções de tratamento e prognóstico.

As amostras de biópsia de pacientes com melanoma avançado podem ser estudadas para verificar a presença de mutações em determinados genes, como o BRAF. Cerca da metade dos melanomas têm mutações nesse gene. Alguns medicamentos utilizados no tratamento de melanomas avançados só atuam se as células têm mutações BRAF, de modo que este teste é importante para ajudar a determinar as opções de tratamento.

Um teste de laboratório mais recente, conhecido como DecisionDx-Melanoma, examina determinados padrões de expressão gênica em células de melanoma para mostrar se os melanomas em estágio inicial são propensos a se disseminar. Isso pode ser usado para determinar as opções de tratamento.

Fonte: American Cancer Society (27/04/2015)