Em que consiste o tratamento cirúrgico do carcinoma basocelular e espinocelular?

Existem diversos tipos de cirurgia para tratamento do carcinoma basocelular e espinocelular. A escolha da técnica cirúrgica dependerá do tamanho do tumor, localização, e do tipo do câncer de pele. A maioria das cirurgias pode ser feita em consultórios médicos ou clínicas especializadas.

As principais técnicas cirúrgicas utilizadas são:

Excisão Simples

Os tumores de pele geralmente podem ser tratados com sucesso apenas com uma excisão simples, na qual o tumor é removido com uma pequena margem de tecido normal. A excisão simples é realizada com anestesia local e deixa uma pequena cicatriz.

Curetagem e Eletrodissecação

Este procedimento é utilizado para remover o tumor por raspagem com uma cureta, e em seguida, a área onde o tumor estava localizado é tratada com um eletrodo que emite uma corrente elétrica para destruir todas as células cancerosas remanescentes. A curetagem acompanhada da eletrodissecação é utilizada para o tratamento do câncer de pele de células basais e células escamosas.

Cirurgia Micrográfica de Mohs

É um procedimento delicado que exige prática e perícia do cirurgião, é mais utilizado em centros especializados no tratamento oncológico. Nesta técnica o cirurgião remove uma camada da pele que pode ter sido invadida pelo câncer e mapeia sua localização. A amostra de tecido removida é imediatamente analisada por um patologista, e, se ainda existir células cancerosas, remove mais um pouco de tecido, que volta a ser analisada pelo patologista. O processo é demorado, mas permite o máximo controle histopatológico e preservação do tecido (pele) normal ao redor do tumor. Apesar de muito difundida na dermatologia, é de pouca aceitação pelos cirurgiões que preferem a excisão cirúrgica com mapeamento intraoperatório das margens de patologia por congelação.