Câncer de Pele Basocelular e Espinocelular

As células da região mais profunda da epiderme são redondas e conhecidas como células basais. Cerca de 80% dos cânceres de pele se desenvolvem a partir deste tipo de célula e são denominados carcinomas basocelulares. Na maioria das vezes, o carcinoma basocelular se desenvolve na região da cabeça e pescoço.

Diagnóstico do Câncer de Pele Basocelular e Espinocelular

Os médicos solicitam diversos exames para diagnosticar e determinar o estadiamento do câncer de pele basocelular e espinocelular. Alguns exames ajudam a decidir qual tipo de tratamento será mais eficaz. Para a maioria dos tipos de câncer de pele, a biópsia é a única maneira de se obter um diagnóstico definitivo do câncer.

Histórico Clínico e Exame Físico

Se uma pessoa apresenta sinais de câncer de pele basocelular ou espinocelular, o médico analisará o histórico clínico e familiar do paciente, observando os sinais e sintomas e os fatores de risco da doença. Para diagnosticar o câncer de pele basocelular e espinocelular e determinar o grau de comprometimento da doença poderão ser solicitados alguns exames.

Durante o exame físico, o médico observará o tamanho, forma, cor e textura das lesões em questão, e se há sangramento ou descamação.

O médico também apalpará os gânglios linfáticos da virilha, axilas, pescoço e próximos da área da lesão. O aumento dos gânglios linfáticos pode sugerir que o câncer de pele basocelular ou espinocelular se disseminou para esse local.

Junto com o exame, alguns dermatologistas usam uma técnica chamada dermatoscopia para avaliar manchas em pele mais claras. O médico utiliza um dermatoscópio, uma lente de aumento especial com fonte de luz própria para observar a pele. Às vezes uma fina camada de óleo é usada com este instrumento. Uma imagem digital ou fotográfica do local pode ser tirada.

Fonte: American Cancer Society (20/05/2016)