Como Prevenir o Câncer de Pele Basocelular e Espinocelular

Nem todos os cânceres de pele basocelular e espinocelular podem ser evitados. Mas, algumas ações podem ajudar a reduzir esse risco:

Limitar a Exposição à Radiação Ultravioleta

A forma mais importante para reduzir o risco do câncer de pele de basocelular e espinocelular é proteger-se da radiação ultravioleta. Proteja-se do sol quando estiver ao ar livre.

Procurar uma sombra – Uma forma de limitar a exposição à radiação ultravioleta é evitar a exposição prolongada ao ar livre, diretamente sob a luz solar, especialmente entre às 10 h e 16 h, quando a luz UV é mais intensa.

Usar roupas adequadas – As roupas fornecem diferentes níveis de proteção à radiação ultravioleta (UV), por exemplo, camisas de mangas compridas, calças compridas ou saias longas oferecem mais proteção, as cores escuras também protegem mais do que as cores claras. Tecidos firmes protegem melhor do que o vestuário entrelaçado. Tecido seco é geralmente mais protetor que o molhado. Entretanto é importante estar ciente que apenas se cobrir não bloqueia toda a radiação ultravioleta, se a luz passa através de um tecido, a radiação UV também passará.

Usar chapéu – Chapéu com aba é o ideal, porque protege áreas muitas vezes expostas ao sol intenso, como orelhas, olhos, nariz, couro cabeludo e testa. O boné protege o rosto e a cabeça, mas não o pescoço ou as orelhas, onde, normalmente, os cânceres de pele começam a se desenvolver. Os chapéus de palha não são tão protetores quanto os confeccionados com tecido mais grosso.

Usar protetor solar – Use protetores solares e labiais em áreas de pele expostas ao sol, especialmente entre às 10 h e 16 h e de preferência com fatores de proteção solar (FPS) 30 ou mais. O uso do protetor solar é recomendado, inclusive em dias nublados ou encobertos, pois a radiação UV está presente. Entretanto, para garantir a proteção contínua, os filtros solares devem ser reaplicados, de acordo com as instruções da embalagem.

Usar óculos de sol – Óculos com capacidade de bloquear a radiação UV, de pelo menos 99% oferecem a melhor proteção para os olhos e a área da pele ao redor dos olhos.

Evitar o Bronzeamento Artificial

Muitas pessoas acreditam que os raios UV das câmaras de bronzeamento são inofensivos, mas isso não é uma verdade. As lâmpadas de bronzeamento que fornecem os raios ultravioleta podem, a longo prazo, provocar danos à pele e ainda contribuir para o desenvolvimento de um câncer de pele.

A maioria dos dermatologistas e dos membros de organizações de saúde não recomenda o uso de câmaras de bronzeamento e lâmpadas ultravioletas. No Brasil está proibida sua utilização desde 2009.

Proteger as Crianças do Sol

As crianças precisam de atenção especial, pois tendem a passar mais tempo ao ar livre e podem se queimar mais facilmente. Os pais devem proteger as crianças à exposição ao sol em excesso, seguindo as recomendações mencionadas acima. As crianças mais velhas precisam ser alertadas sobre a exposição ao sol uma vez que se tornam mais independentes.

Substâncias Químicas

A exposição a determinados produtos químicos, como os que contém arsênio, pode aumentar o risco de uma pessoa desenvolver câncer de pele. As pessoas podem estar expostas ao arsênio nas águas de poços, pesticidas e herbicidas, alguns medicamentos e em atividades profissionais, como mineração e fundição.

Autoexame da Pele

Verificar a pele regularmente ajuda a detectar quaisquer novas alterações como aumento do tamanho de lesões ou áreas anormais. Converse com seu médico antes que qualquer alteração tenha chance de se transformar em câncer de pele.