Causas do Câncer de Pele Basocelular e Espinocelular

Embora muitos fatores de risco para câncer de pele basocelular e espinocelular sejam conhecidos, nem sempre está claro como esses fatores causam o câncer.

A maioria dos cânceres basocelulares e espinocelulares é causada pela exposição à radiação ultravioleta (UV), sem qualquer proteção, bem como a partir de fontes artificiais, como câmaras de bronzeamento.

Os raios UV danificam o DNA do interior das células da pele. O DNA é um composto orgânico cujas moléculas contêm as instruções genéticas que coordenam o desenvolvimento e funcionamento de todas as células. Normalmente, as pessoas se parecem com seus pais, porque eles são a fonte de seu DNA. Entretanto, o DNA também pode influenciar o risco de desenvolver determinadas doenças, como alguns tipos de câncer.

Alguns genes contêm instruções para controlar o crescimento e divisão das células. Os genes que promovem a divisão celular são chamados oncogenes. Os genes que retardam a divisão celular ou levam as células à morte no momento certo são chamadas de genes supressores de tumor. Os cânceres podem ser causados ​​por alterações do DNA que se transformam em oncogenes ou desativam os genes supressores de tumor. Alterações em vários genes diferentes são normalmente necessárias para que uma célula se torne cancerosa

Às vezes, o dano ao DNA no interior das células afeta determinados genes que controlam como e quando as células crescem e se dividem. Normalmente, as células podem reparar o dano, mas em alguns casos isso resulta em um DNA anormal, que pode ser o primeiro passo para o desenvolvimento do câncer.

Os pesquisadores ainda não conhecem todas as alterações do DNA que resultam em câncer de pele, mas já sabem que muitos cânceres da pele têm alterações nos genes supressores de tumor.

O gene TP53 é o que se encontra alterado com mais frequência no câncer de pele espinocelular. Este gene supressor de tumor, normalmente faz com que as células com DNA danificado morram. Quando o gene TP53 é alterado, estas células anormais podem viver mais tempo, se tornando cancerosas.

Um gene frequentemente alterado nos cânceres de pele basocelulares é o PTCH, que faz parte da via de sinalização dentro das células. Esta via é vital para o desenvolvimento antes do nascimento e é importante em algumas células adultas. PTCH é um gene supressor de tumor, que normalmente controla o crescimento celular, de modo que as alterações nesse gene podem permitir que as células cresçam fora de controle. As pessoas com síndrome de células basais de nascença, que muitas vezes é herdada de um dos pais e resulta em cânceres basocelulares, têm um gene PTCH alterado em todas as células do corpo.

As pessoas com xeroderma pigmentosa têm um alto risco de câncer de pele. Essa condição é rara, hereditária e resulta de um defeito numa enzima que repara os danos do DNA. Como as pessoas com xeroderma pigmentosa têm menor capacidade de reparar os danos causados ​​pela luz solar no DNA, desenvolvem muitos tipos de câncer em áreas do corpo expostas ao sol.

A ligação entre o câncer de pele espinocelular e infecções por alguns tipos de vírus do papiloma humano (HPV), também envolve o DNA e os genes. Estes vírus têm genes que afetam as proteínas reguladoras do crescimento das células infectadas. Isso pode fazer com que essas células cresçam sem controle e não morram quando deveriam.

Os pesquisadores estão estudando outras relações entre as mudanças no DNA e o câncer de pele. Uma melhor compreensão de como o DNA danificado leva ao câncer de pele pode ser usada para desenvolver novos tratamentos, ou reparar os danos causados​​.