Câncer de PeleCarcinoma Espinocelular

É possível prevenir o carcinoma espinocelular? Como?

By outubro 5, 2020 No Comments

Existem diversos fatores que ocasionam o desenvolvimento de um câncer de pele espinocelular. Nem todos eles podem ser controlados, mas alguns cuidados podem sim, ajudar a minimizar os riscos do surgimento do tumor. 

Confira algumas dicas importantes:

  • Limite a exposição às radiações ultravioleta: proteja-se do sol quando estiver ao ar livre.

– Procure ficar na sombra: evite exposição prolongada diretamente sob a luz solar, especialmente entre às 10h e às 16h, quando a luz ultravioleta (UV) é mais intensa.

– Atenção ao que veste: as roupas fornecem diferentes níveis de proteção à radiação UV, por exemplo, camisas de mangas compridas, calças compridas ou saias longas oferecem mais proteção. Cores escuras também protegem mais do que as cores claras. O tipo de tecido também faz diferença, como por exemplo tecidos firmes protegem melhor do que o vestuário entrelaçado. Mas é importante estar ciente de que apenas se cobrir não bloqueia toda a radiação ultravioleta: se a luz passa através de um tecido a radiação UV também passará.

– Use protetor solar: de preferência com fatores de proteção solar (FPS) 30 ou mais. O uso do protetor solar é recomendado, inclusive, em dias nublados ou encobertos, pois a radiação UV está presente. E não se esqueça que para garantir a proteção contínua, os filtros solares devem ser reaplicados de acordo com as instruções da embalagem ou do seu médico dermatologista (sempre é dermato ou pode ser outra especialidade?).

– Chapéus, óculos de sol e protetor labial também são fundamentais para a proteção da sua pele, principalmente de regiões que ficam “esquecidas” e com as quais menos nos preocupamos quando falamos em proteção solar como olhos, boca, orelhas. 

  • Evite o bronzeamento artificial: além de ser perigoso para a saúde da sua pele, o bronzeamento artificial é proibido no Brasil desde 2009. As lâmpadas de bronzeamento que fornecem os raios ultravioleta podem, a longo prazo, provocar danos à pele (como lesões e envelhecimento precoce) e ainda contribuir para o desenvolvimento de um câncer de pele.
  • Evite contato com substâncias químicas: a exposição a determinados produtos químicos, como os que contêm arsênio, pode aumentar o risco de uma pessoa desenvolver câncer de pele. As pessoas podem estar expostas ao arsênio nas águas de poços, em pesticidas e herbicidas, em alguns medicamentos e em atividades profissionais como mineração e fundição.
  • Mantenha uma rotina de auto-observação da sua pele: observar atentamente a pele de forma regular ajuda a detectar quaisquer novas alterações como aumento do tamanho de lesões, mudanças em pintas, ou áreas anormais e procurar pela orientação de um dermatologista quando necessário. 
  • Não fumar: sim, o tabagismo também tem sido associado a um aumento do risco de desenvolvimento do câncer de pele espinocelular, bem como de outros tipos de câncer. Por isso, se você é fumante, procure formas e meios de parar. 
  • Imunossupressão: pessoas com sistema imunológico enfraquecido têm maior risco de desenvolver câncer de pele, o que pode tornar mais difícil o tratamento. Fale com seu médico caso esse seja o seu caso.

Agora que você já conhece uma série de maneiras de proteger-se adequadamente, cuide da saúde da sua pele e reduza os riscos de desenvolver algum tipo de tumor neste que é o maior órgão do corpo humano. E lembre-se, fale sempre com seu dermatologista ao notar qualquer sinal diferente na sua pele e peça também a orientação do seu profissional de confiança sobre outras formas de se proteger.

Deixe seu comentário