Biópsia do Linfonodo no Câncer de Pele Basocelular e Espinocelular

É raro o câncer de pele basocelular ou espinocelular se dissemine para outros partes do corpo, mas quando isso acontece geralmente o primeiro local são os gânglios linfáticos próximos. Se seu médico sentir ao exame físico que os linfonodos próximos ao tumor estão aumentado, ele solicitará uma biópsia do linfonodo para verificar se a doença se disseminou para eles.

Biópsia Aspirativa por Agulha Fina

Nesse procedimento, é utilizado uma seringa com agulha fina para retirar células e fragmentos pequenos do tecido. Essa biópsia é realizada com anestésico local, raramente causa grande desconforto, e não deixa cicatriz.

A punção aspirativa por agulha fina não é uma técnica tão invasiva como outros tipos de biópsia, mas nem sempre fornece uma quantidade de tecido suficiente para o diagnóstico do câncer de pele basocelular e espinocelular.

Biópsia Cirúrgica do Linfonodo

Este procedimento pode ser usado para remover um gânglio linfático através de uma pequena incisão na pele. Esta técnica é utilizada quando o tamanho do linfonodo sugere a disseminação da doença.

Se o gânglio linfático for superficial, o procedimento é realizado com anestesia local, mas se o linfonodo estiver localizado em camadas mais profundas do corpo, o paciente pode necessitar de anestesia geral.